Coronavírus & a Pele

Diante de tantas informações diárias sobre a nova pandemia do Coronavírus, eu não podia deixar de ir atrás sobre quais as implicações dermatológicas de tudo isso.

Resultado de imagem para coronavirus healthworkers

Existe alguma indicação na pele que pode indicar infecção pelo COVID-19?

  • Têm sido raros os relatos de rash cutâneo como sinal ou sintoma de coronavirus até o momento. (Em um estudo de 1099 casos de COVID-10 da China, apenas 2 pacientes (0,2%) tiveram rash)
  • Entretanto, isso não significa que a pele está salva durante esse surto, existe uma alta incidência de complicações dermatológicas relacionadas às medidas preventivas, principalmente entre os profissionais da área da saúde.

Complicações  incluem:

  • Alta incidência de dermatite de contato nas mãos, devido ao aumento necessário da frequência da lavagem das mãos com diversos tipos de sabões (exacerbada pela baixa umidade e tempo seco do período do inverno, finalizando no hemisfério norte e se iniciando logo no hemisfério sul), além do uso rotineiro de luvas, muitas vezes com latex;
  • Úlceras, abrasões ou feridas na face devido à pressão dos materiais de proteção individual fundamentais nessa fase, utilizados na quase totalidade dos profissionais da saúde que estão no front dessa batalha.
  • Locais de lesões dermatológicas: nariz, mãos, bochechas e testa; (devido ao uso necessário de máscaras como N95 E óculos de proteção).
  •  The healthcare workers who wore some medical
    devices over 6 hours had higher risks of skin damages in corresponding sites than
    those who did less time

Obs.: Importante entender que todos esse materiais de proteção individual são de extrema importância e não devem ser retirados da atual rotina desses profissionais!

⁣Por que isso importa?

A quebra da barreira cutânea pode aumentar o risco de infecções de pele, resultando indiretamente em diminuição de profissionais de trabalho disponíveis para poderem trabalhar nesse momento onde a presença deles é tão crucial!

O uso desses materiais de proteção individual passa a ser usado de maneira incorreta e sua eficácia pode ser comprometida, aumentando o risco de exposição ao coronavírus.

O que se pode fazer?

  • Tentar mudanças rotativas dos materiais de proteção individual para evitar complicações e injúrias na pele; Estudos mostrarm que os profissionais de saúde que utilizaram esses equipamentos de proteção diretamente por mais de 6h tiveram mais risco de lesões dermatológicas do que os que fizeram uma mudança rotativa com menos tempo.
  • Utilizar luvas sem latex para evitar a exposição repetitiva aos irritantes primários
  • Se atentar ao uso de sabonetes menos agressivos e quando não estiver em contato com pessoas suspeitas ou com sintomas gripais, tentar manter a hidratação das mãos com hidratantes neutros.

Vamos fazer nossa parte para manter nossos grandes heróis da atualidade, os profissionais da área da saúde, o mais saudáveis e seguros possíveis durante este surto!

Gostaria inclusive expressar meu profundo respeito aos colegas que estão juntos na linha de front por toda essa dedicação em lutar contra o COVID-19.

Fontes: ⁣
👉Guan WJ et ‪al. NEJM 2020 Feb 28‬⁣
👉Elston DM, Letter from the Editor: Occupational skin disease among healthcare workers during the Coronavirus (COVID-19) epidemic, JAAD 2020⁣
👉Lan J et al, JAAD 2020 (In Press Journal Pre-Proof)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s